Bolsa perde US$ 1 trilhão em valor de mercado durante governo Dilma

Quase na faixa: sob Dilma, economia desandou e bolsa brasileira está cada vez mais barata (REUTERS/Ueslei Marcelino)
Somadas, todas as empresas brasileiras de capital aberto valem menos que a Apple
SÃO PAULO – O mau humor do mercado em relação à presidente Dilma Rousseff ganhou mais um número: US$ 1 trilhão. Isso é quanto as 300 empresas brasileiras listadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) se desvalorizaram, durante seu governo, segundo a consultoria Economática. A petista assumiu o primeiro mandato em 1º de janeiro de 2011. Poucos meses depois, em abril, a bolsa chegou ao seu maior nível, com as companhias totalizando US$ 1,531 trilhão.
Desde então, apesar de alguns soluços, a Bovespa entrou em queda livre. Na última sexta-feira (18), em meio à expectativa de que o país perderia seu segundo selo de bom pagador (o chamado grau de investimento), a bolsa fechou com forte queda de 2,65%. Com isso, o valor total das companhias caiu para apenas US$ 515 bilhões.
Para se ter uma ideia do que isso representa, as 300 companhias da bolsa brasileira não valem, juntas, a Apple, a badalada empresa fundada por Steve Jobs e criadora de aparelhos como o iPhone e o iPad. Hoje, seu valor de mercado é de US$ 656 bilhões. De acordo com a Economática, o preço da bolsa brasileira é o mais baixo desde dezembro de 2005, quando valia US$ 447 bilhões.
De acordo com a Economática, parte dessa desvalorização brasileira deve-se à disparada do dólar. Nos 54 meses analisados pela consultoria, a moeda americana subiu 134%. Isso cria outro embaraço: a bolsa brasileira está muito próxima de ficar menor que a do México. Com 121 companhias listadas, a bolsa mexicana vale US$ 497 bilhões. Ou seja: o Brasil está apenas 3,4% acima.

Comentários

Postagens mais visitadas