Seguidores

sábado, 27 de março de 2010

Entrevista com Ivo Patarra, autor de "O Chefe"


Klauber Cristofen Pires
26 Março 2010

Entrevistas - Entrevistas



Após anos de investigação, Ivo Patarra afirma: "Lula é o chefe. A rede de esquemas é enorme, complexa e, se houver inteligência, Lula não deve saber dos detalhes, até para não ser envolvido. Mas, como mais alto mandatário da nação e beneficiário dos métodos constituídos para dar governabilidade à sua administração, dá o devido suporte e apoio. É o protetor de tudo."

Leia a íntegra:


http://www.midiasemmascara.org/artigos/entrevistas/10942-entrevista-com-ivo-patarra-autor-de-qo-chefeq.html

quinta-feira, 25 de março de 2010


Aqui pode-se ver o brasão da Casa de Itararé:



Uísque e mulher ranzinza


Eu tinha doze garrafas de uísque na minha adega e minha mulher me disse para despejar todas na pia, porque se não...
- Assim seja! Seja feita a vossa vontade, disse eu, humildemente. E comecei a desempenhar, com religiosa obediência, a minha ingrata tarefa.
Tirei a rolha da primeira garrafa è despejei o seu conteúdo na pia, com exceção de um copo, que bebi.
Extraí a rolha da segunda garrafa e procedi da mesma maneira, com exceção de um copo, que virei.
Arranquei a rolha da terceira garrafa e despejei o uísque na pia, com exceção de um copo, que empinei.
Puxei a pia da quarta rolha e despejei o copo na garrafa, que bebi.
Apanhei a quinta rolha da pia, despejei o copo no resto e bebi a garrafa, por exceção.
Agarrei o copo da sexta pia, puxei o uísque e bebi a garrafa, com exceção da rolha.
Tirei a rolha seguinte, despejei a pia dentro da gar rafa, arrolhei o copo e bebi por exceção.
Quando esvaziei todas as garrafas, menos duas, que escondi atrás do banheiro, para lavar a boca amanhã cedo, resolvi conferir o serviço que tinha feito, de acordo com as ordens da minha mulher, a quem não gosto de contrariar, pelo mau gênio que tem.
Segurei então a casa com uma mão e com a outra contei direitinho as garrafas, rolhas, copos e pias, que eram exatamente trinta e nove. Quando a casa passou mais uma vez pela minha frente, aproveitei para recontar tudo e deu noventa e três, o que confere, já que todas as coisas no momento estão ao contrário.
Para maior segurança, vou conferir tudo mais uma vez, contando todas as pias, rolhas, banheiros, copos, casas e garrafas, menos aquelas duas que escondi e acho que não vão chegar até amanhã, porque estou com uma sede louca ...

Apparício Torelli, Barão de Itararé, o Brando, (1895/1971), "campeão olímpico da paz", "marechal-almirante e brigadeiro do ar condicionado", "cantor lírico", "andarilho da liberdade", "cientista emérito", "político inquieto", "artista matemático, diplomata, poeta, pintor, romancista e bookmaker", como se definia, era gaúcho e é um dos maiores humoristas de todos os tempos.   Dele disse Jorge Amado: "Mais que um pseudônimo, o Barão de Itararé foi um personagem vivo e atuante, uma espécie de Dom Quixote nacional, malandro, generoso, e gozador, a lutar contra as mazelas e os malfeitos".




Mais uma vez Roberto Jefferson foi pego com a mão na cumbuca. Coisa feia. Restou unicamente o mérito de se revelar leitor atento do Olavo, o que não ofusca o crime de plágio.
"De onde menos se espera, daí é que não sai nada", ainda uma vez vive-se plenamente a máxima do Barão de Itararé. Essa é a sensação que tive ao cotejar o artigo de Roberto Jefferson, publicado na Folha de São Paulo, com um artigo de Olavo de Carvalho ("Pensem nisso"). Jefferson tornou-se um plagiador grosseiro e inepto, coisa coerente com sua biografia e sua vida política. Mais uma entre tantas outras falhas morais.

http://www.midiasemmascara.org/artigos/cultura/10929-o-plagio-de-roberto-jefferson.html

terça-feira, 23 de março de 2010


IG esporte
Veja a lista dos jogadores mais bem pagos do mundo:
Anualmente:
1º. Messi (Barcelona) – 33 milhões de euros
2º. Beckham (Los Angeles Galaxy) – 30,4 milhões de euros
3º. Cristiano Ronaldo (Real Madrid) – 30 milhões de euros
4º. 
Kaká (Real Madrid) – 18,8 milhões de euros
5º. Henry (Barcelona) – 18 milhões de euros
6º. 
Ronaldinho (Milan) – 17,2 milhões de euros
7º. Tevez (Manchester City) – 15,4 milhões de euros
8º. Ibrahimovic (Barcelona) – 14,5 milhões de euros
9º. Lampard (Chelsea) – 14,2 milhões de euros
10º. Eto’o (Internazionale) – 13,8 milhões de euros
11º. Drogba (Chelsea) – 13 milhões de euros
12º. Puyol (Barcelona) – 12,8 milhões de euros
13º. Rooney (Manchester United) – 12,6 milhões de euros
14º. Ballack (Chelsea) – 12,2 milhões de euros
15º. Fernando Torres (Liverpool) – 11,7 milhões de euros
16º. Gerrard (Liverpool) – 11,5 milhões de euros
17º. Terry (Chelsea) – 11,4 milhões de euros
18º. Xavi (Barcelona) – 11 milhões de euros
19º. Buffon (Juventus) – 10,6 milhões de euros
20º. Totti (Roma) – 10,1 milhões de euros

SEÇÃO » Direto ao Ponto

Se ouvisse Arias em vez de Lula, Obama não teria quebrado a cara

Obama demorou quase um ano para descobrir que Lula era só mais um asterisco na História ─ e que Oscar Arias é um dos raros sinais de vida inteligente na América Latina. O noviço americano errou de cara. Quebrou a cara.
Para ler a íntegra:

segunda-feira, 22 de março de 2010

"Nunca antes, na história deste país"

“Nunca antes...” a política foi tão aviltada, perdendo toda a sustentação ética e moral que a devia caracterizar, como a arte de buscar a realização do Bem Comum, para transformar-se em mera luta pelo poder, de preferência para usufruto total e para sempre."
Para ler a íntegra clic no link:
http://www.ternuma.com.br/stvaquino1001.htm

domingo, 21 de março de 2010



Assine Shalom, Lula
Leonardo Attuch


O presidente quer o Nobel da Paz, mas pode acabar levando o Troféu Framboesa de Ouro em 2010
Lula é candidato ao Nobel da Paz. Só isso falta ao seu currículo. E só isso explica a viagem que “o cara” fez dias atrás ao Oriente Médio. O risco, no entanto, é que ele leve o Troféu Framboesa de Ouro em 2010 – destinado aos piores atores de Hollywood. Lula foi a Israel dizendo-se contaminado pelo “vírus da paz”. Depois de ter resolvido todos os problemas brasileiros e solucionado a crise econômica mundial, sua última pendência seria dar fim a um probleminha simples: o conflito entre árabes e judeus na Palestina. Só que Lula, nosso super-herói, cometeu um erro. Ninguém pode ser um bom mediador ou um árbitro da paz já tendo escolhido, de antemão, um lado. E Lula deixou claro que está a favor da Palestina – o que pode ser uma posição legítima, desde que assumida às claras – e contra Israel.


Poderia ser diferente. E, se tivesse sido, Lula sairia de lá com credibilidade. A grosseria foi não depositar flores no túmulo de Theodor Herzl e apenas no de Yasser Arafat, o líder da Organização para a Libertação da Palestina. Quem foi Herzl? Um herói não só de Israel, mas do mundo civilizado. Um intelectual que escreveu o livro “O Estado Judeu” e decifrou as raízes do antissemitismo europeu, ao cobrir o caso Dreyfus – aquele em que um capitão judeu foi acusado de traição na França por suas origens semitas. O caso Dreyfus também permitiu ao escritor Émile Zola escrever o maior texto jornalístico da história – o célebre J´accuse (Eu acuso), em que denunciou a injustiça. E quem foi Arafat? Uma figura mais controversa, mas que, de todo modo, também recebeu o Nobel da Paz, ao renunciar ao terrorismo e buscar um acordo com Israel.


Se conhecesse o Itamaraty, Lula saberia que um só brasileiro dá nome a várias ruas na Galileia. É Osvaldo Aranha, o chanceler de Getúlio Vargas que, em 1947, presidiu a Assembleia das Nações Unidas que criou o Estado de Israel. Se fosse vivo, Aranha teria bons conselhos a dar ao presidente. Diria que, na época de Vargas, especialmente na Segunda Guerra, o Brasil flertou com o nazismo. Mas, na hora H, encarou o mundo com realismo e aderiu aos aliados, sabendo barganhar vantagens econômicas, como a CSN. Lula hoje flerta com o déspota do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, sem que tenha nada a ganhar. Enquanto isso, os países que fazem diferença na geopolítica mundial discutem sanções duríssimas contra Teerã e também repreendem Israel pelos novos assentamentos em Jerusalém. Alguém precisa dizer a Lula, com urgência, que ele, nesse jogo complexo, é só um peão no tabuleiro do xadrez. E que escolheu o lado errado – seja por princípios morais, seja por interesse econômico. Mas o fato é que o Brasil já não tem um Osvaldo Aranha. Tem Celso Amorim e Marco Aurélio Garcia. Assim, fica difícil.

sábado, 20 de março de 2010

        Do blog DOIS EM CENA, sempre atenta, vale a pena fazer uma visita.
        Vou adicionar 2 imagens, espero que não se importe.


Há coisas que em 1000 anos .....

Não entenderei...

Leia isso via Blog do Noblat

O senador Fernando Collor (AL) fez a saudação à ministra Dilma Rousseff no jantar com o PTB, anteontem.

Collor afirmou que a candidatura de Dilma é "uma coisa extraordinária", que o presidente Lula está fazendo "uma renovação nos costumes ao escolher para sucessor uma mulher" e que "o Brasil, um país tradicionalmente machista, está prestes a eleger uma mulher presidente da República".

Collor também pediu que Dilma tente uma aproximação com o presidente do partido, Roberto Jefferson, que denunciou o mensalão do PT:

"A senhora, que é uma mulher, tem que usar todo seu encantamento para trazer para a campanha o nosso presidente Roberto Jefferson".

Por trás desse discurso há duas mensagens enviadas pelo perigoso Jefferson através do seu senador porta voz e alcoviteiro:

1° - Dependendo do preço, ele pode sim, da mesma forma esdrúxula que continua compondo a base do governo, mesmo depois da denuncia do mensalão, apoiar a candidata de Lula;

2° - Como tecnicamente o PTB apoiaria José Serra no automático, Jefferson quer acrescentar alguma emoção nas negociações de apoio, para aumentar as suas possibilidades na sua fatia no bolo: ministério, poder, etc.

Quer dizer: o balcão de negociação está aberto, quem dá mais?
---------------
Estou doida para saber que tipo de armas, digamos, femininas, Dilma usará para despertar em Roberto Jefferson seus instintos mais primitivos...

sexta-feira, 19 de março de 2010


Camisa de força!

Por Carlos Vereza
O Grande Timoneiro precisa com urgencia de um tratamento psiquiátrico antes que reste apenas o uso de uma camisa de força. Com o ego completamente fora de controle,propõe-se,agora,a "intermediar" o conflito no Oriente Medio!
Jogando como sempre para a arquibancada,em eterno palanque,quer atrair a "esquerda"de olho na campanha eleitoral,cometendo um insulto imperdoável com o povo de Israel,recusando-se a colocar flores no túmulo do lider sionista Theodor Herzl,ato de uma total descortesia,e que fazia parte da cerimônia protocolar.
Como se não bastasse,o primata,pretende fazê-lo,no túmulo de Arafat!
Por outro lado,faz média com Ahmadinejad,outro psicopata,cujo "sonho",é varrer Israel do mapa!
Eu não sou judeu,mas sem esse bravo povo,não existiria o que chamamos de civilização.
Não me consta que em Israel exista homens-bomba que detonem onibus escolares,mercados,matando indiscriminadamente,. crianças,civís,em nome de dogmas religiosos.Este batráquio precisa ser desmacarado internacionalmente,porque no Brasil,ele consegue enganar a quase todos,com a cumplicidade de grande parte da intelectualidade,que finge ignorar o projeto autoritário já esboçado no país!
Resistência por todos os meios democráticos,ou será tarde demais!
IG - coluna do Guilherme BarrosSEXTA-FEIRA, 19 DE MARÇO DE 201012:56

Serra anuncia que é candidato à Presidência

No dia em que comemora seu aniversário de 68 anos, José Serra anunciou sua candidatura à Presidência.
Em entrevista ao jornalista José Luiz Datena, da TV Bandeirantes, realizada hoje na sede do governo de São Paulo, José Serra falou pela primeira vez que é o candidato do PSDB à Presidência.
O programa vai ao ar hoje à tarde.

quinta-feira, 18 de março de 2010

ODORÍFERO MANGUAÇU, O IMPOLUTO

A decepção internacional com Lula

Carlos Alberto Montaner*
O ESTADO DE SÃO PAULO - 12/03/2010

Para Luiz Inácio Lula da Silva, os presos políticos cubanos são delinquentes como os piores criminosos encarcerados nas prisões do Brasil. Lula adotou, cruelmente, o ponto de vista de seu amigo Fidel Castro. Para ele, pedir eleições democráticas, emprestar livros proibidos e escrever em jornais estrangeiros - os "delitos" cometidos pelos 75 dissidentes presos em 2003, condenados a até 28 anos - equivale a matar, roubar ou sequestrar. Para Lula, Oscar Elías Biscet, um médico negro sentenciado a 25 anos por defender os direitos humanos e se opor ao aborto, é apenas um criminoso empedernido. Dentro de seu curioso código moral, é compreensível a morte do preso político Orlando Zapata ou a possível morte de Guillermo Fariñas, em greve de fome para pedir a libertação de 26 presos políticos doentes.


Os democratas cubanos não são os únicos decepcionados com o brasileiro. Na última etapa de seu governo, Lula está demolindo a boa imagem que desfrutou no começo. Recordo, há cerca de três anos, uma conversa que tive no Panamá com Jeb Bush, ex-governador da Flórida. Ele me disse que seu irmão George, então presidente dos EUA, tinha uma relação magnífica com Lula e estava convencido de que ele era um aliado leal. Isso me pareceu uma ingenuidade, mas não comentei a questão.


Alguns dias atrás, um ex-embaixador americano, que prefere o anonimato, me disse exatamente o contrário: "Todos nos equivocamos com Lula. Ele é um inimigo contumaz do Ocidente e, muito especialmente, dos EUA, embora trate de dissimulá-lo". E, em seguida, com certa indignação, criticou a cumplicidade do Brasil com o Irã no tema das sanções pelo desenvolvimento de armas nucleares, o apoio permanente a Hugo Chávez e a irresponsabilidade com que manejou a crise de Honduras ao conceder asilo a Manuel Zelaya na embaixada em Tegucigalpa, violando as regras da diplomacia internacional.


Na realidade, o comportamento de Lula não é surpreendente. Em 1990, quando o Muro de Berlim foi derrubado, o líder do Partido dos Trabalhadores apressou-se em criar o Fórum de São Paulo com Fidel Castro para coordenar a colaboração entre as forças violentas e antidemocráticas da América Latina. Ali estavam as guerrilhas das Farc e do ELN na Colômbia, partidos comunistas de outros tantos países, a FSLN da Nicarágua e o FMLN de El Salvador. Enquanto o mundo livre celebrava o desaparecimento da União Soviética e das ditaduras comunistas no Leste Europeu, Lula e Fidel recolhiam os escombros do marxismo violento para tratar de manter vigente o discurso político que conduziu a esse pesadelo, e estabeleciam uma cooperação internacional que substituísse a desvanecida liderança soviética na região.


No Brasil, sujeito a uma realidade política que não pôde modificar, Lula comporta-se como um democrata moderno e não se afastou substancialmente das diretrizes econômicas traçadas por Fernando Henrique Cardoso, mas no terreno internacional, onde afloram suas verdadeiras inclinações, sua conduta é a de um revolucionário terceiro-mundista dos anos 60.


De onde vem essa militância radical? A hipótese de um presidente latino-americano que o conhece bem, também decepcionado, aponta para sua ignorância: "Esse homem é de uma penosa fragilidade intelectual. Continua sendo um sindicalista preso à superstição da luta de classes. Não entende nenhum assunto complexo, carece de capacidade de fixar a atenção, tem lacunas culturais terríveis e por isso aceita a análise dos marxistas radicais que lhe explicaram a realidade como um combate entre bons e maus." Sua frase final, dita com tristeza, foi lapidar: "Parecia que Lula, com sua simpatia e pelo bom momento que seu país atravessa, converteria o Brasil na grande potência latino-americana. Falso. Ele destruiu essa possibilidade ao se alinhar com os Castro, Chávez e Ahmadinejad. Nenhum país sério confia mais no Brasil". Muito lamentável


*Carlos Alberto Montaner é escritor cubano
Leonel Brizola, grande político!
Lembram que ele falou que teríamos de engolir o "SAPO BARBUDO"?
Não está fácil para digerir.

Nem todos estão mudos

segunda-feira, 15 de março de 2010

A colisão entre um político sem grandeza e um estadista


Augusto Nunes

Traídos pela indiferença ultrajante do Itamaraty, afrontados pela infame hostilidade do presidente da República, presos políticos cubanos e dissidentes em liberdade vigiada endereçaram ao presidente da Costa Rica o mesmo pedido de socorro que Lula rechaçou. Fiel à biografia admirável, Oscar Arias nem esperara pela chegada do apelo (que o colega brasileiro ainda não leu) para colocar-se ao lado das vítimas do arbítrio. Já estava em ação ─ e em ação continua.


Neste sábado, Arias escreveu sobre o tema no jornal espanhol El País. O confronto entre o falatório de Lula e trechos do artigo permite uma pedagógica comparação entre os dois chefes de governo:


LULA: “Lamento profundamente que uma pessoa se deixe morrer por fazer uma greve de fome. Vocês sabem que sou contra greve de fome porque já fiz greve de fome”.

ARIAS: “Uma greve de fome de 85 dias não foi suficiente para convencer o governo cubano de que era necessário preservar a vida de uma pessoa, acima de qualquer diferença ideológica. Não foi suficiente para induzir à compaixão um regime que se vangloria da solidariedade que, na prática, só aplica a seus simpatizantes. Nada podemos fazer agora para salvar Orlando Zapata, mas podemos erguer a voz em nome de Guillermo Fariñas Hernández, que há 17 dias está em greve de fome em Santa Clara, reivindicando a libertação de outros presos políticos, especialmente aqueles em precário estado de saúde”.


LULA: “Eu acho que a greve de fome não pode ser utilizada como pretexto para libertar pessoas em nome dos direitos humanos. Imagine se todos os bandidos presos em São Paulo entrarem em greve de fome e pedirem liberdade”.

ARIAS: “Seria perigoso se um Estado de Direito se visse obrigado a libertar todos os presos que decidirem deixar de alimentar-se. Mas esses presos cubanos não são como os outros, nem há em Cuba um Estado de Direiro. São presos políticos ou de consciência, que não cometeram nenhum delito além de opor-se a um regime”.


LULA: “Temos de respeitar a determinação da Justiça e do governo cubanos”.

ARIAS: “Não existem presos políticos nas democracias. Em nenhum país verdadeiramente livre alguém vai para a prisão por pensar de modo diferente. Cuba pode fazer todos os esforços retóricos para vender a ideia de que é uma “democracia especial”. Cada preso político nega essa afirmação. Cada preso político é uma prova irrefutável de autoritarismo. Todos foram julgados por um sistema de independência questionável e sofreram punições excessivas sem terem causado danos a qualquer pessoa”.


LULA: “Cada país tem o direito de decidir o que é melhor para ele”.

ARIAS: “Sempre lutei para que Cuba faça a transição para a democracia. (…) O governo de Raúl Castro tem outra oportunidade para mostrar que pode aprender a respeitar os direitos humanos, sobretudo os direitos dos opositores. Se o governo cubano libertasse os presos políticos, teria mais autoridade para reclamar respeito a seu sistema político e à sua forma de fazer as coisas”.


LULA: “Não vou dar palpites nos assuntos de outros países, principalmente um país amigo”.

ARIAS: “Estou consciente de que, ao fazer estas afirmações, eu me exponho a todo tipo de acusação. O regime cubano me acusará de imiscuir-me em assuntos internos, de violar sua soberania e, quase com certeza, de ser um lacaio do império. Sem dúvida, sou um lacaio do império: do império da razão, da compaixão e da liberdade. Não me calo quando os direitos humanos são desrespeitados. Não posso calar-me se a simples existência de um regime como o de Cuba é uma afronta à democracia. Não me calo quando seres humanos estão com a vida em jogo só por terem contestado uma causa ideológica que prescreveu há anos. Vivi o suficiente para saber que não há nada pior que ter medo de dizer a verdade”.

Oscar Arias é um chefe de Estado. Lula é chefe de uma seita com cara de bando. Arias é um pensador, conhece a História e tenta moldar um futuro mais luminoso. Lula nunca leu um livro, não sabe o que aconteceu e só pensa na próxima eleição. Arias é justo e generoso. Lula é mesquinho e oportunista. Arias se guia por princípios e valores. Lula menospreza irrelevâncias como direitos humanos, liberdade ou democracia.

O artigo do presidente da Costa Rica, um homem digno, honra o Nobel da Paz que recebeu. A discurseira do presidente brasileiro, um falastrão sem compromisso com valores morais, tornou-o tão candidato ao prêmio quanto Fidel, Chávez ou Ahmadinejad. A colisão frontal entre o que Lula disse e o que Arias escreveu escancarou a distância abissal que separa um político sem grandeza de um estadista.

domingo, 14 de março de 2010

O despertar do ditador
Leonardo Attuch

Se Lula e Dilma hoje igualam presos políticos a bandidos, o que será que podem fazer amanhã?.

Os monstros estão acordando. Aos poucos, saem do armário e revelam sua verdadeira natureza. Na semana passada, o presidente Lula comparou os presos políticos, trancafiados nas masmorras cubanas, a bandidos comuns, presos no Brasil. E disse que greves de fome não podem ser feitas em nome dos direitos humanos. Dilma Rousseff, sua criatura, endossou as declarações do criador. E o mínimo que se pode dizer é que ambos se tornaram cúmplices do banho de sangue sistemático que se promove há anos pela ditadura castrista.

Esta, no entanto, é a leitura mais apressada. É possível também acusar a dupla do mais deslavado cinismo, pois o governo brasileiro está prestes a conceder asilo político ao esquerdista Cesare Battisti, que foi condenado à prisão na Itália por assassinato e que, no Brasil, fez greve de fome justamente para não ser extraditado ao seu país de origem. Em nome de que valores universais o governo abrigaria Battisti? Dos direitos humanos, ora bolas. Portanto, o mesmo Lula que pede respeito às leis de Cuba, uma autêntica democracia que não promove eleições há mais de cinco décadas, ignora as da Itália, uma notória tirania.

Lula não é ignorante. Aliás, nunca foi. Conhece o significado das palavras e, melhor do que ninguém, sempre soube adaptar o discurso a seus objetivos. No passado, ele próprio foi preso político e fez greve de fome de seis dias, muito embora já tenha confessado o “contrabando” de guloseimas para a cela com a ajuda do delegado Romeu Tuma, que deveria mantê-lo encarcerado – graças ao episódio, Lula recebe hoje uma polpuda aposentadoria pública. Mas se o argumento usado pelo presidente para defender a ditadura cubana for levado ao extremo, uma única conclusão será possível. Se as pessoas que hoje estão presas por razões políticas em outros países equivalem a bandidos comuns, os eventuais presos políticos de amanhã no Brasil também não serão chamados de outra coisa por Lula – serão bandidos comuns, assim como assassinos, ladrões e estupradores. Ou “apenas presos”, como diz Dilma.

Sempre haverá quem diga que as gafes presidenciais não devem ser levadas a sério. Mas Lula vive hoje o auge de sua potência e é quase um deus, movendo todas as peças do tabuleiro político. Inventou a candidatura do PT, tenta impor o nome do vice ao PMDB e trabalha dia e noite para exterminar a oposição, com o apoio de sua polícia política – uma polícia, aliás, criada por discípulos de Tuma.

Lula só não pode tudo porque ainda existem instituições no Brasil, como o Supremo Tribunal Federal, que atuam como contrapesos ao poder presidencial. Mas o pequeno ditador que mora dentro de Lula está acordando. E não tem uma cara boa.
As cadeias estão à espera dos arrudas protegidos pelo rei
Augusto Nunes

Há três meses, os milicianos do PT endossam sem retoques todas as acusações que atingem José Roberto Arruda e, desde a véspera do Carnaval, festejam a merecida transferência para a cadeia do governador do Distrito Federal. Nenhum companheiro ressalva que o chefe da Turma do Panetone “ainda não foi condenado em última instância”. Nenhum enxergou “manobras partidárias” no “mensalão do DEM”. Nenhum debitou na conta de “perseguições políticas” as descobertas da Polícia Federal.

Como determina a novilíngua lulista, tais expressões são reservadas a bandalheiras produzidas por filiados ao PT ou parceiros da base alugada. Se envolve bandidos de estimação, qualquer pontapé no Código Penal ganha imediatamente o selo de ”trama forjada para prejudicar Dilma Rousseff”. A frase significa apenas que os acusados não têm nada de consistente a dizer em sua defesa. Compreensivelmente, tem sido declamada pelo bando que desviou milhões de reais da Bancoop.

Formuladas pelo promotor José Carlos Blat e divulgadas por VEJA, as denúncias foram reduzidas a ”perseguição política” e “manobra partidária” por João Vaccari, ex-presidente da entidade e hoje tesoureiro do PT nacional. A entrevista concedida ao Estadão pelo sucessor de Delúbio Soares confirma que um dos efeitos perversos da Era da Impunidade é o desembaraço com que gente com contas a acertar na Justiça procura passar de acusado a acusador.

Grosseiro na forma e fraudulento no conteúdo, o falatório debocha do Ministério Público, zomba das centenas de cooperados iludidos e tenta confundir o noticiário da imprensa com mentiras de ruborizar uma Dilma Rousseff. Vaccari garante, por exemplo, que as acusações de Blat não se refletiram em decisões judiciais. Falso. Mais de 70 juízes já se pronunciaram sobre o caso. Todos entenderam que a entidade pecou.

Enfiado até o pescoço nas operações suspeitíssimas, o Alto Companheiro também sustenta que todas as ações da diretoria foram autorizadas pelos cooperados em assembléias exemplarmente democráticas. Falso. Os dirigentes sempre se valeram de critérios arbitrários para decidir se alguém poderia ou não participar das reuniões.

Tudo somado, está claro que a população carcerária requer a urgente incorporação dos arrudas apadrinhados por Lula. A prisão do governador foi um sinal animador. A solidão do preso, uma ilha perdida no oceano de corruptos à solta, pode acabar comprovando que só vai para a cadeia gente que, além de filmada enquanto rouba, dispensa cautelas para tentar subornar testemunhas perigosas.

Arruda foi preso por excesso de provas, mas por falta de juízo. Sobram provas para engaiolar meliantes de todas as tribos. Como sobra dinheiro para construir presídios que nunca saíram do papel, tampouco faltarão celas. O que não pode faltar é coragem para prender também os protegidos pelo rei.
O país do medo

Klauber Cristofen Pires


Ora, Sr. Merval, foram "propositadas" mesmo! Salta-me aos olhos que um festejado profissional da comunicação, nesta hora tão grave para o Brasil, não saiba utilizar os termos mais adequados.

Ontem, dia 09/03/2010, assisti pelo telejornal Globonews a notícia sobre o comentário de Lula sobre os presos políticos cubanos, seguidos da análise de opinião do jornalista Merval Pereira.

O comentarista político até que fez a sua parte, isto é, pelo menos não aderiu à indefensável tese de que os dissidentes cubanos são bandidos comuns. Nisto, pelo menos, apresentou uma contraposição ao presidente que, em relação a estes fatos, não tem como se esconder atrás dos seus "não vi, não sabia, assinei sem ler", ainda que, em seguida, uma nota do Itamaraty tenha declarado que não havia recebido outro pedido de socorro por parte dos condenados da ilha, isto, claro, em óbvio requinte de cinismo, como se fosse necessário, face aos notórios acontecimentos, tomar conhecimento por via de protocolo de requerimento em uma de suas repartições.

Não obstante, o motivo desta nota, hoje bem curta, é a de testemunhar o indisfarçável desconforto com que o calejado jornalista apresentou a sua opinião. Teria sido somente eu, ou mais gente houve por perceber a sua voz trêmula, a balbuciar as palavras que saíam aos tropeços de sua boca?

Na sua exposição, por pelo menos duas vezes ouvi-lo afirmar que as declarações de Lula foram "despropositadas". Ora, Sr. Merval, foram "propositadas" mesmo! Salta-me aos olhos que um festejado profissional da comunicação, nesta hora tão grave para o Brasil, não saiba utilizar os termos mais adequados.

Com tais declarações, Lula declara abertamente qual o seu projeto para o Brasil e até onde vão as suas convicções sobre direitos humanos. Nada mais há a esconder.

A hegemonia do pensamento, que até um certo tempo atrás não passava de um mero constrangimento social, hoje amedronta até mesmo as pessoas que possuem escoras respeitáveis, como é o caso do jornalista "global". Chegou a hora, pois, dos "Mervais" verem-se à frente com o que se passa, e tomarem as suas escolhas, definitivamente.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Leonardo Attuch


Um país devasso

Paris Hilton é mais comportada do que todos nós. E poderia até ser exibida na sessão da tarde.

A música toca e ela, num vestido preto minúsculo, faz poses na janela. Rebola e se insinua para um fotógrafo, enquanto uma cidade inteira para. Eis o roteiro do comercial da cerveja Devassa, da Nova Schin, retirado do ar na semana passada por determinação do Conselho Nacional de Auto-Regulação Publicitária. Estrelado pela americana Paris Hilton, que melhor do que ninguém possui o physique du rôle, tendo nascido para o papel que lhe foi confiado, o filme esbarrou no moralismo da sociedade brasileira. Caiu porque, supostamente, um consumidor se sentiu atingido pela sensualidade da propaganda. Mas logo aqui? Num país onde todas as cervejarias, sem exceção, sempre apelaram para a erotização? Quem não se lembra da gotinha da Skol, que escorria pelo corpo de uma mulher escultural? Ou da “boa” da Antarctica? Cerveja e sexo são coisas tão comuns no Brasil como arroz e feijão. Donde se conclui que a retirada do comercial talvez seja mais devassa do que a própria propaganda.



Voltando no tempo, o que pode haver de mais devasso do que a formação de um quase-monopólio, sob as bênçãos de um governo? Quando a AmBev nasceu, na era FHC, a justificativa era criar uma multinacional verde-amarela – e que hoje é belga. À época, o processo foi empurrado pela goela abaixo dos conselheiros do Cade, que deveria zelar pela concorrência no Brasil. Foi uma decisão cercada de mais insinuações do que as caras e bocas de Paris Hilton. E assim como alguém enxergou algo a mais sob seu vestido, outros poderiam encontrar rastros indecentes, libidinosos e devassos em movimentos anticoncorrenciais recentes. Quem não se lembra da Operação Cevada, da Polícia Federal? Ou da campanha do “experimenta”, também retirada do ar, por, supostamente, incentivar o uso de drogas?



E ainda que não exista qualquer conspiração por trás da suspensão da propaganda, o que há de tão chocante no filme? Entre as contribuições culturais do Brasil ao mundo há danças como o “segura o Tchan”, a “boquinha da garrafa” (vai descendo, vai descendo, vai descendo, vai descendo...) e, mais recentemente, o “rebolation” – cujos passos, segundo consta, já foram aprendidos até pela ministra-candidata Dilma Rousseff. O Brasil é também o país onde meias, cuecas e calcinhas ganharam finalidades que vão muito além do erotismo. Servem para guardar dinheiro. Somos também tão voyeurs quanto aqueles que, da calçada, admiram Paris Hilton. Aqui, o sexo já desceu da novela das oito para a das sete; e da novela das sete para a das seis – e isso sem falar nos tórridos edredons do “Big Brother”. Resumo da ópera: perto do que o Brasil oferece, Paris Hilton até que é bem comportadinha. Deveria ser reclassificada para a Sessão da Tarde.

Assistam:

terça-feira, 9 de março de 2010

Como nunca antes...,


Siga ao menos aquele que tem menos bronca, já que o PAíS é assim....
Acervo histórico. Não deixe de repassá-lo.  Estará prestando um
serviço ao futuro desta nação!



Governo Ernesto Geisel (1974- 1979)

Caso Wladimir Herzog
Caso Manuel File Filho
Caso Lutfala
Caso Atalla
Ângelo Calmon de Sá (ministro acusado de passar um gigantesco cheque
Sem fundos)
Lei Falcão (1976)
Pacote de Abril (1977)
Grandes Mordomias dos Ministros
Governo João Figueiredo (1979- 1985)

Caso Capemi
Caso do Grupo Delfim
Escândalo da Mandioca
Escândalo da Brasilinvest
Escândalo das Polonetas
Escândalo do Instituto Nacional de Assistência Médica do INAMPS
Caso Morel
Crime da Mala
Caso Coroa-Brastel
Escândalo das Jóias


Governo Sarney ( 1985- 1990)

CPI DA Corrupção b
Escândalo do Ministério das Comunicações (Grande número de concessões
de rádios e TVs para políticos aliados ou não Ao Sarney. A concessão é
em troca de cargos, votos ou apoio Ao presidente)
Caso Chiarelli (Dossiê do Antônio Carlos Magalhães contra o senador
Carlos Chiarelli ou 'Dossiê Chiarelli')
Caso Imbraim Abi-Ackel
Escândalo da Administração de Orestes Quécia
Escândalo do Contrabando das Pedras Preciosas
Governo Fernando Collor (1990- 1992)

Escândalo da Aprovação da Lei da Privatização das Estatais
Programa Nacional de Desestatização
Escândalo do INSS (ou Escândalo da Previdência Social)
Escândalo do BCCI (ou caso Sérgio Corrêa da Costa)
Escândalo da Ceme (Central de Medicamentos)
Escândalo da LBA
Esquema PP
Esquema PC (Caso Collor)
Escândalo da Eletronorte
Escândalo do FGTS
Escândalo da Ação Social
Escândalo do BC
Escândalo da Merenda
Escândalo das Estatais
Escândalo das Comunicações
Escândalo da Vasp
Escândalo do Fundo de Participação
Escândalo do BB

Governo Itamar Franco  ( 1992- 1995)

Centro Federal de Inteligência (Criação da CFI para combater corrupção
em todas as esferas do governo)
Caso Edmundo Pinto
Escândalo do DNOCS (Departamento Nacional de Obras contra a Seca) (ou
caso Inocêncio Oliveira )
Escândalo da IBF ( Indústria Brasileira de Formulários)
Escândalo do INAMPS ( Instituto Nacional de Assistência Previdência Social)
Irregularidades no Programa Nacional de Desestatização
Caso Nilo Coelho
Caso Eliseu Resende
Caso Queiroz Galvão (em Pernambuco)
Escândalo da Telemig (Minas Gerais)
Jogo do Bicho (ou Caso Castor de Andrade) (no Rio de Janeiro)
Caso Ney Maranhão
Escândalo do Paubrasil (Paubrasil Engenharia e Montagens)
Escândalo da Administração de Roberto Requião
Escândalo da Cruz Vermelha Brasileira
Caso José Carlos da Rocha Lima
Escândalo da Colac (no Rio Grande do Sul)
Escândalo da Fundação Padre Francisco de Assis Castro Monteiro (em
Ibicuitinga, Ceará)
Escândalo da Administração de Antônio Carlos Magalhães (Bahia)
Escândalo da Administração de Jaime Campos (Mato Grosso)
Escândalo da Administração de Roberto Requião (Paraná)
Escândalo da Administração de Ottomar Pinto (em Roraima)
Escândalo da Sudene de Pernambuco
Escândalo da Prefeitura de Natal (no Rio Grande do Norte)
CPI do Detran ( em Santa Catarina )
Caso Restaurante Gulliver (tentativa do governador Ronaldo Cunha Lima
matar o governador antecessor Tarcísio Burity, por causa das denúncias
de Irregularidades naSudene de Paraíba)
CPI do Pó (em Paraíba)
Escândalo da Estacom (em Tocantins)
Escândalo do Orçamento da União (ou Escândalo dos Anões do Orçamento
ou CPI do Orçamento)
Compra e Venda dos Mandatos dos Deputados do PSD
Caso Ricupero (também conhecido como 'Escândalo das Parabólicas').

Governo Fernando Henrique (1995- 2003)

Escândalo do Sivam
Escândalo da Pasta Rosa
Escândalo da CONAN
Escândalo da Administração de Paulo Maluf
Escândalo do BNDES (verbas para socorrerem ex-estatais privatizadas)
Escândalo da Telebrás
Caso PC Farias
Escândalo da Compra de Votos Para Emenda DA Reeleição
Escândalo da Venda da Companhia Vale do Rio Doce (CVRD)
Escândalo da Previdência
Escândalo da Administração do PT (primeira denúncia contra o Partido
dos Trabalhadores desde a fundação em 1980, feito pelo militante do
partido Paulo de Tarso Venceslau)
Escândalo dos Precatórios
Escândalo do Banestado
Escândalo da Encol
Escândalo da Mesbla
Escândalo do Banespa
Escândalo da Desvalorização do Real
Escândalo dos Fiscais de São Paulo (ou Máfia dos Fiscais)
Escândalo do Mappin
Dossiê Cayman (ou Escândalo do Dossiê Cayman ou Escândalo do Dossiê Caribe)
Escândalo dos Grampos Contra FHC e Aliados
Escândalo do Judiciário
Escândalo dos Bancos
CPI do Narcotráfico
CPI do Crime Organizado
Escândalo de Corrupção dos Ministros no Governo FHC
Escândalo da Banda Podre
Escândalo dos Medicamentos
Quebra do Monopólio do Petróleo (criação DA ANP)
Escândalo da Transbrasil
Escândalo da Pane DDD do Sistema Telefônico Privatizado (o 'Caladão')
Escândalo dos Desvios de Verbas do TRT-SP (Caso Nicolau dos Santos
Neto , o 'Lalau')
Escândalo da Administração da Roseana Sarney (Maranhão)
Corrupção na Prefeitura de São Paulo (ou Caso Celso Pitta)
Escândalo da Sudam
Escândalo da Sudene
Escândalo do Banpará
Escândalo da Quebra do Sigilo do Painel do Senado
Escândalos no Senado em 2001
Escândalo da Administração de Mão Santa (Piauí)
Caso Lunus (ou Caso Roseana Sarney )
Acidentes Ambientais da Petrobrás
Abuso de Medidas Provisórias (5.491)
Escândalo do Abafamento das CPIs no Governo do FHC

E agora...
Uma pequena AMOSTRA do Governo Lula CALMA... Vai ter muito mais!!!

Caso Pinheiro Landim
Caso Celso Daniel
Caso Toninho do PT
Escândalo dos Grampos Contra Políticos da Bahia
Escândalo do Proprinoduto (também conhecido como Caso Rodrigo Silveirinha )
CPI do Banestado
Escândalo da Suposta Ligação do PT com o MST
Escândalo da Suposta Ligação do PT com a FARC
Privatização das Estatais no Primeiro Ano do Governo Lula
Escândalo dos Gastos Públicos dos Ministros
Irregularidades do Fome Zero
Escândalo do DNIT (envolvendo os ministros Anderson Adauto e Sérgio Pimentel)
Escândalo do Ministério do Trabalho
Licitação Para a Compra de Gêneros Básicos
Caso Agnelo Queiroz (O ministro recebeu diárias do COB para os Jogos
Panamericanos)
Escândalo do Ministério dos Esportes (Uso da estrutura do ministério
para organizar a festa de aniversário do ministro Agnelo Queizoz)
Operação Anaconda
Escândalo dos Gafanhotos (ou Máfia dos Gafanhotos)
Caso José Eduardo Dutra
Escândalo dos Frangos (em Roraima)
Várias Aberturas de Licitações da Presidência da República Para a
Compra de Artigos de Luxo
Escândalo da Norospar (Associação Beneficente de Saúde do Noroeste do Paraná)
Expulsão dos Políticos do PT
Escândalo dos Bingos (Primeira grave crise política do governo Lula)
(ou Caso Waldomiro Diniz)
Lei de Responsabilidade Fiscal (Recuos do governo federal da LRF)
Escândalo da ONG Ágora
Escândalo dos Corpos (Licitação do Governo Federal para a compra de
750 copos de cristal para vinho, champagne,  licor e whisky)
Caso Henrique Meirelles
Caso Luiz Augusto Candiota (Diretor de Política Monetária do BC, é
acusado de movimentar as contas no exterior e demitido por não
explicar a movimentação)
Caso Cássio Caseb
Caso Kroll
Conselho Federal de Jornalismo
Escândalo dos Vampiros
Escândalo das Fotos de Herzog
Uso dos Ministros dos Assessores em Campanha Eleitoral de 2004
Escândalo do PTB (Oferecimento do PT para ter apoio do PTB em troca de
cargos, material de campanha e R$ 150 mil reais a cada deputado)
Caso Antônio Celso Cipriani
Irregularidades na Bolsa-Escola
Caso Flamarion Portela
Irregularidades na Bolsa-Família
Escândalo de Cartões de Crédito Corporativos da Presidência
Irregularidades do Programa Restaurante Popular (Projeto de
restaurantes populares beneficia prefeituras administradas pelo PT)
Abuso de Medidas Provisórias no Governo Lula entre 2003 e 2004 (mais de 300)
Escândalo dos Correios (Segunda grave crise política do governo Lula.
Também conhecido como Caso Maurício Marinho)
Escândalo do IRB
Escândalo da Novadata
Escândalo da Usina de Itaipu
Escândalo das Furnas
Escândalo do Mensalão (Terceira grave crise política do governo.
Também conhecido como  Mensalão)
Escândalo do Leão & Leão (República de Ribeirão Preto ou Máfia do Lixo
ou Caso Leão & Leão)
Escândalo da Secom
Esquema de Corrupção no Diretório Nacional do PT
Escândalo do Brasil Telecom (também conhecido como Escândalo do
Portugal Telecom ou Escândalo da Itália Telecom)
Escândalo da CPEM
Escândalo da SEBRAE (ou Caso Paulo Okamotto)
Caso Marka/FonteCindam
Escândalo dos Dólares na Cueca
Escândalo do Banco Santos
Escândalo Daniel Dantas - Grupo Opportunity (ou Caso Daniel Dantas)
Escândalo da Interbrazil
Caso Toninho da Barcelona
Escândalo da Gamecorp-Telemar (ou Caso Lulinha)
Caso dos Dólares de Cuba
Doação de Roupas da Lu Alckmin
Doação de Terninhos de Marísa da Silva
Escândalo da Nossa Caixa
Escândalo da Quebra do Sigilo Bancário do Caseiro Francenildo (Quarta
grave crise política do governo Lula. Também conhecido como Caso
Francenildo Santos Costa)
Escândalo das Cartilhas do PT
Escândalo do Banco BMG (Empréstimos para aposentados)
Escândalo do Proer
Escândalo dos Fundos de Pensão
Escândalo dos Grampos na Abin
Escândalo do Foro de São Paulo
Esquema do Plano Safra Legal (Máfia dos Cupins)
Escândalo do Mensalinho
Escândalo das Vendas de Madeira da Amazônia (ou Escândalo Ministério
do Meio Ambiente).
69 CPIs Abafadas pelo Geraldo Alckmin ( em São Paulo )
Escândalo de Corrupção dos Ministros no Governo Lula
Crise da Varig
Escândalo das Sanguessugas (Quinta grave crise política do governo
Lula. Inicialmente conhecida como Operação Sanguessuga e Escândalo das
Ambulâncias)
Escândalo dos Gastos de Combustíveis dos Deputados
CPI da Imigração Ilegal
CPI do Tráfico de Armas
Escândalo da Suposta Ligação do PT com o PCC
Escândalo da Suposta Ligação do PT com o MLST
Operação Confraria
Operação Dominó
Operação Saúva
Escândalo do Vazamento de Informações da Operação Mão-de-Obra
Escândalo dos Funcionários Federais Empregados que não Trabalhavam
Mensalinho nas Prefeituras do Estado de São Paulo
Escândalo dos Grampos no TSE
Escândalo do Dossiê (Sexta grave crise política do governo Lula)
ONG Unitrabalho
Escândalo da Renascer em Cristo
CPI das ONGs
Operação Testamento
CPI do Apagão Aéreo ( Câmara dos Deputados)
Operação Hurricane (também conhecida  Operação Furacão )
Operação Navalha
Operação Xeque-Mate
Escândalo da Venda da Varig 


Abaixo lista de políticos com ficha
criminal - DIVULGUEM




Essa é para guardar... E distribuir ao máximo!

EM QUEM NÃO VOTAR



1- ABELARDO LUPION Deputado PFL-PR Sonegação Fiscal
2 -ADEMIR PRATES Deputado PDT-MG Falsidade Ideológica
3 -AELTON FREITAS Senador PL-MG Crime de Responsabilidade e Estelionato
4 -AIRTON ROVEDA Deputado PPS-PR Peculato
5 -ALBÉRICO FILHO Deputado PMDB-MA Apropriação Indébita
6 -ALCESTE ALMEIDA Deputado PTB-RR Peculato e Formação de Quadrilha,
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
7 -ALEX CANZIANI Deputado PTB-PR Peculato
8 -ALMEIDA DE JESUS Deputado PL-CE Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
9 -ALMIR MOURA Deputado PFL-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
10 -AMAURI GASQUES Deputado PL-SP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
11 -ANDRÉ ZACHAROW Deputado PMDB-PR Improbidade Administrativa
12 -ANÍBAL GOMES Deputado PMDB-CE Improbidade Administrativa
13 -ANTERO PAES DE BARROS Senador PSDB-MT Improbidade Administrativa e
Formação de Quadrilha
14 -ANTÔNIO CARLOS PANNUNZIO Deputado PSDB-SP Crime de Responsabilidade
15- ANTÔNIO JOAQUIM Deputado PSDB-MA Improbidade Administrativa
16 -BENEDITO DE LIRA Deputado PP-AL Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
17- BENEDITO DIAS Deputado PP-AP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
18 -BENJAMIN MARANHÃO Deputado PMDB-PB Crime Eleitoral
19 -BISPO WANDERVAL Deputado PL-SP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
20 -CABO JÚLIO (JÚLIO CÉSAR GOMES DOS SANTOS) Deputado PMDB-MG Crime
Militar, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
21 -CARLOS ALBERTO LERÉIA Deputado PSDB-GO Lesão Corporal
22 -CELSO RUSSOMANNO Deputado PP-SP Crime Eleitoral, Peculato e Agressão
23 -CHICO DA PRINCESA (FRANCISCO OCTÁVIO BECKERT) Deputado PL-PR Crime Eleitoral
24 -CIRO NOGUEIRA Deputado PP-PI Crime Contra a Ordem Tributária e Prevaricação
25 -CLEONÂNCIO FONSECA Deputado PP-SE Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
26- CLÓVIS FECURY Deputado PFL-MA Crime Contra a Ordem Tributária
27 -CORIALANO SALES Deputado PFL-BA Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
28 -DARCÍSIO PERONDI Deputado PMDB-RS Improbidade Administrativa
29 -DAVI ALCOLUMBRE Deputado PFL-AP Corrupção Ativa
30- DILCEU SPERAFICO Deputado PP-PR Apropriação Indébita
31 -DOUTOR HELENO Deputado PSC-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
32 -EDSON ANDRINO Deputado PMDB-SC Crime de Responsabilidade
33 -EDUARDO AZEREDO Senador PSDB-MG Improbidade Administrativa
34 -EDUARDO GOMES Deputado PSDB-TO Crime Eleitoral, Sanguessugas
(Escândalo das Ambulâncias)
35 -EDUARDO SEABRA Deputado PTB-AP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
36 -ELIMAR MÁXIMO DAMASCENO Deputado PRONA-SP Falsidade Ideológica
37 -EDIR DE OLIVEIRA Deputado PTB-RS Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
38- EDNA MACEDO Deputado PTB-SP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
39- ELAINE COSTA Deputada PTB-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
40 -ELISEU PADILHA Deputado PMDB-RS Corrupção Passiva
41- ENIVALDO RIBEIRO Deputado PP-PB Crime Contra a Ordem Tributária,
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
42 -ÉRICO RIBEIRO Deputado PP-RS Crime Contra a Ordem Tributária e
Apropriação Indébita
43 -FERNANDO ESTIMA Deputado PPS-SP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
44 -FERNANDO GONÇALVES Deputado PTB-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
45 -GARIBALDI ALVES Senador PMDB-RN Crime Eleitoral
46 -GIACOBO (FERNANDO LUCIO GIACOBO) Deputado PL-PR Crime Contra a
Ordem Tributária e Seqüestro
47 -GONZAGA PATRIOTA Deputado PSDB-PE Apropriação Indébita
48 -GUILHERME MENEZES Deputado PT-BA Improbidade Administrativa
49 -INALDO LEITÃO Deputado PL-PB Crime Contra o Patrimônio, Declaração
Falsa de Imposto de Renda
50 -INOCÊNCIO DE OLIVEIRA Deputado PMDB-PE Crime de Escravidão
51- IRAPUAN TEIXEIRA Deputado PP-SP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
52 -IRIS SIMÕES Deputado PTB-PR Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
53- ITAMAR SERPA Deputado PSDB-RJ Crime Contra o Consumidor,
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
54 -ISAÍAS SILVESTRE Deputado PSB-MG Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
55 -JACKSON BARRETO Deputado PTB-SE Peculato e Improbidade Administrativa
56 -JADER BARBALHO Deputado PMDB-PA Improbidade Administrativa,
Peculato, Crime Contra o Sistema Financeiro e Lavagem de Dinheiro
57- JAIME MARTINS Deputado PL-MG Crime Eleitoral
58 -JEFERSON CAMPOS Deputado PTB-SP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
59- JOÃO BATISTA Deputado PP-SP Falsidade Ideológica, Sanguessugas
(Escândalo das Ambulâncias)
60 -JOÃO CALDAS Deputado PL-AL Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
61 -JOÃO CORREIA Deputado PMDB-AC Declaração Falsa de Imposto de
Renda, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
62 -JOÃO HERRMANN NETO Deputado PDT-SP Apropriação Indébita
63 -JOÃO MAGNO Deputado PT-MG Lavagem de Dinheiro
64 -JOÃO MENDES DE JESUS Deputado PSB-RJ Sanguessugas (Escândalo das
Ambulâncias)
65 -JOÃO PAULO CUNHA Deputado PT-SP Corrupção Passiva, Lavagem de
Dinheiro e Peculato
66 -JOÃO RIBEIRO Senador PL-TO Peculato e Crime de Escravidão
67 -JORGE PINHEIRO Deputado PL-DF Crime Ambiental
68 -JOSÉ DIVINO Deputado PRB-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
69 -JOSÉ JANENE Deputado PP-PR Estelionato, Improbidade
Administrativa, Lavagem de Dinheiro, Corrupção Passiva, Formação de
Quadrilha, Apropriação Indébita e Crime Eleitoral
70 -JOSÉ LINHARES Deputado PP-CE Improbidade Administrativa
71 -JOSÉ MENTOR Deputado PT-SP Corrupção Passiva
72 -JOSÉ MILITÃO Deputado PTB-MG Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
73 -JOSÉ PRIANTE Deputado PMDB-PA Crime Contra o Sistema Financeiro
74 -JOVAIR ARANTES Deputado PTB-GO Improbidade Administrativa
75 -JOVINO CÂNDIDO Deputado PV-SP Improbidade Administrativa
76 -JÚLIO CÉSAR Deputado PFL-PI Peculato, Formação de Quadrilha,
Lavagem de Dinheiro e Falsidade Ideológica
77 -JÚLIO LOPES Deputado PP-RJ Falsidade Ideológica
78 -JÚNIOR BETÃO Deputado PL-AC Declaração Falsa de Imposto de Renda,
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
79 -JUVÊNCIO DA FONSECA Deputado PSDB-MS Improbidade Administrativa
80 -LAURA CARNEIRO Deputada PFL-RJ Improbidade Administrativa e
Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
81 -LEONEL PAVAN Senador PSDB-SC Contratação de Serviços Públicos Sem
Licitação e Concussão
82 -LIDEU ARAÚJO Deputado PP-SP Crime Eleitoral
83 -LINO ROSSI Deputado PP-MT Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
84 -LÚCIA VÂNIA Senadora PSDB-GO Peculato
85 -LUIZ ANTÔNIO FLEURY Deputado PTB-SP Improbidade Administrativa
86 -LUPÉRCIO RAMOS Deputado PMDB-AM Crime de Aborto
87 -MÃO SANTA Senador PMDB-PI Improbidade Administrativa
88 -MARCELINO FRAGA Deputado PMDB-ES Crime Eleitoral, Sanguessugas
(Escândalo das Ambulâncias)
89 -MARCELO CRIVELA Senador PRB-RJ Crime Contra o Sistema Financeiro e
Falsidade Ideológica
90 -MARCELO TEIXEIRA Deputado PSDB-CE Sonegação Fiscal
91 -MÁRCIO REINALDO MOREIRA Deputado PP-MG Crime Ambiental
92 -MARCOS ABRAMO Deputado PP-SP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
93 -MÁRIO NEGROMONTE Deputado PP-BA Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
94 -MAURÍCIO RABELO Deputado PL-TO Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
95 -NÉLIO DIAS Deputado PP-RN Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
96 -NELSON BORNIER Deputado PMDB-RJ Improbidade Administrativa
97 -NEUTON LIMA Deputado PTB-SP Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
98 -NEY SUASSUNA Senador PMDB-PB Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
99 -NILTON CAPIXABA Deputado PTB-RO Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
100 -OSMÂNIO PEREIRA Deputado PTB-MG Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
101 -OSVALDO REIS Deputado PMDB-TO Apropriação Indébita
102 -PASTOR AMARILDO Deputado PSC-TO Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
103 -PAULO AFONSO Deputado PMDB-SC Peculato, Crime Contra o Sistema
Financeiro e Improbidade Administrativa
104 -PAULO BALTAZAR Deputado PSB-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
105 -PAULO FEIJÓ Deputado PSDB-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
106 -PAULO JOSÉ GOUVEIA Deputado PL-RS Porte Ilegal de Arma
107 -PAULO LIMA Deputado PMDB-SP Extorsão e Sonegação Fiscal
108 -PAULO MAGALHÃES Deputado PFL-BA Lesão Corporal
109 -PEDRO HENRY Deputado PP-MT Formação de Quadrilha, Lavagem de
Dinheiro e Corrupção Passiva, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
110 -PROFESSOR IRAPUAN Deputado PP-SP Crime Eleitoral
111 -PROFESSOR LUIZINHO Deputado PT-SP Lavagem de Dinheiro
112 -RAIMUNDO SANTOS Deputado PL-PA Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
113 -REGINALDO GERMANO Deputado PP-BA Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
114 -REINALDO BETÃO Deputado PL-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
115 -REINALDO GRIPP Deputado PL-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
116 -REMI TRINTA Deputado PL-MA Estelionato e Crime Ambiental
117 -RIBAMAR ALVES Deputado PSB-MA Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
118 -RICARDO BARROS Deputado PP-PR Sonegação Fiscal
119 -RICARTE DE FREITAS Deputado PTB-MT Improbidade Administrativa e
Formação de Quadrilha, Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
120 -RODOLFO TOURINHO Senador PFL-BA Gestão Fraudulenta de Instituição
Financeira
121 -ROMERO JUCÁ Senador PMDB-RR Improbidade Administrativa
122 -ROMEU QUEIROZ Deputado PTB-MG Corrupção Ativa, Corrupção Passiva
e Lavagem de Dinheiro
123 -RONALDO DIMAS Deputado PSDB-TO Crime Eleitoral
124 -SANDRO MABEL Deputado PL-GO Crime Contra a Ordem Tributária
125 -SUELY CAMPOS Deputada PP-RR Crime Eleitoral
126 -TATICO (JOSÉ FUSCALDI CESÍLIO) Deputado PTB-DF Crime Contra a
Ordem Tributária, Declaração Falsa de Imposto de Renda e Sonegação
Fiscal
127 -TETÉ BEZERRA Deputado PMDB-MT Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
128 -THELMA DE OLIVEIRA Deputada PSDB-MT Improbidade Administrativa e
Formação de Quadrilha
129 -VADÃO GOMES Deputado PP-SP Improbidade Administrativa e Crime
Contra a Ordem Tributária
130 -VALDIR RAUPP Senador PMDB-RO Peculato, Uso de Documento Falso,
Crime Contra o Sistema Financeiro, Crime Eleitoral e Gestão
Fraudulenta de Instituição Financeira
131 -VALMIR AMARAL Senador PTB-DF Apropriação Indébita
132 -VANDERLEI ASSIS Deputado PP-SP Crime Eleitoral, Sanguessugas
(Escândalo das Ambulâncias)
133 -VIEIRA REIS Deputado PRB-RJ Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
134 -VITTORIO MEDIOLI Deputado PV-MG Sonegação Fiscal
135 -WANDERVAL SANTOS Deputada PL-SP Corrupção Passiva
136 -WELLINGTON FAGUNDES Deputada PL-MT Sanguessugas (Escândalo das
Ambulâncias) 137 -ZÉ GERARDO Deputado PMDB-CE Crime de
Responsabilidade
138 -ZELINDA NOVAES Deputada PFL-BA Sanguessugas (Escândalo das Ambulâncias)
139 -Ângela Guadagnin Deputada PT-SP Dançarina do Plenário da Câmara,
comemorando absolvição de corrupto
140 -Antônio Palocci Ex-Ministro PT-SP Quebra de Sigilo Bancário
141 -Carlos Rodrigues Ex-Deputado PL-RJ Bispo Rodrigues
142 -Delúbio Soares Tesoureiro PT-GO Ex Tesoureiro do PT
143 -José Dirceu Ex-Deputado PT-SP Mensalão
144 -José Genoíno Ex-Deputado PT-SP Mensalão, Dólares na Cueca
145 -José Nobre Guimarães DeputadoEst. PT-CE Dólares na Cueca (Agora
Candidato a Dep. Federal)
146 -Josias Gomes Deputado PT-BA Mensalão, CPI dos Correios
147 -Luiz Gushiken Ex-Ministro PT-SP CPI dos Correios
148 -Paulo Salim Maluf Ex PPB-SP Corrupção, Falcatruas, Improbidade
Administrativa, Desvio de Dinheiro Público, Lavagem de dinheiro
149 -Paulo Pimenta Deputado PT-RS Compra de Votos, Mensalão, CPI Correios
150 -Pedro Corrêa Ex-Deputado PP-PE Cassado em associação ao Escândalo
do Mensalão, Compra de Votos
151 -Roberto Brant Deputado PFL-MG Crime Eleitoral, Mensalão, CPI Correios
152 -Roberto Jefferson Ex-Deputado PTB-RJ Mensalão
153 -Severino Cavalcanti Ex-Deputado PP-PE Escândalo do Mensalinho
(Renuncio para evitar a cassação)
154 -Silvio Pereira SecretárioPT PT Mensalão
155 -Valdemar Costa Neto Exc-Deputado PL-SP Mensalão (renunciou para
evitar a cassação)


 Faltou a lista dos(as) terroristas!!!


--
José Hugo