1975: Sindicalista James Hoffa desaparece nos EUA, *Jimmy Hoffa

Em 30 de julho de 1975, o líder sindical norte-americano James Riddle Hoffa, um dos mais influentes do século XX, desaparece em Detroit para nunca mais se ter notícia dele. Embora se acredite geralmente que ele tenha sido vítima da máfia, jamais foram encontradas provas conclusivas. Até hoje, o destino de Hoffa permanence envolto em denso mistério. 

Nascido em 1913, perto de uma mina de carvão na cidade de Brazil, no estado de Indiana, Jimmy Hoffa provou-se um líder natural na juventude. Aos 20 anos, ajudou a organizar uma greve operária em Detroit e permaneceu pelo resto da vida como um defensor dos trabalhadores. O carisma e o talento de Hoffa como organizador local rapidamente se viram notado pelos caminhoneiros o que permitiu a ele uma ascensão nas fileiras dirigentes. Os caminhoneiros - então com um sindicato pequeno, mas em rápido crescimento - se organizaram por todo o país e usaram greves, boicotes e de métodos de protesto poderosos, embora menos legais, para conquistar melhores salários e condições de trabalho. 

Hoffa tornou-se presidente do Sindicato dos Caminhoneiros em 1957, quando seu antigo presidente foi preso por suborno. Como chefe, Hoffa foi elogiado por seu incansável trabalho para expandir o sindicato e por sua dedicação inesgotável para igualar até os mais modestos e menos poderosos membros da organização. Sua solidariedade e acessibilidade podiam ser sentidas em uma das tiradas mais famosas a ele atribuída: “Você tem um problema? Me liga. Basta pegar o telefone". 

A dedicação de Hoffa aos trabalhadores e seus discursos públicos eletrizantes fizeram dele uma figura extremamente popular, tanto entre seus companheiros trabalhadores quanto entre os políticos e empresários com quem negociava. Contudo, apesar das batalhas que travou e venceu em favor dos motoristas de caminhão de todo o país, ele também tinha um lado obscuro. Nos tempos de Hoffa, muitos líderes sindicais dos caminhoneiros se associavam à Máfia nos delitos de extorsão, chantagem e desfalque. O próprio Hoffa mantinha relações com os chefões do crime e foi objeto de diversas investigações governamentais ao longo dos anos 1960. Em 1967, foi acusado de suborno e condenado a 15 anos de prisão. 

Mesmo preso, Hoffa jamais cedeu o cargo. Quando Richard Nixon comutou sua sentença em 1971, preparou-se para voltar. Libertado sob a condição de não participar das atividades sindicais por dez anos, Hoffa planejava lutar na Justiça para levantar a restrição quando desapareceu do estacionamento de um restaurante em Detroit, perto do local onde iniciou sua carreira de sindicalista. Diversas teorias conspiratórias cercaram o desaparecimento de Hoffa e a localização de seus restos mortais, mas a verdade permanece desconhecida. 

Hoffa foi interpretado por Robert Blake no filme para a TV Blood Feud de 1983; por Trey Wilson na minisérie de TV Robert Kennedy & His Time de 1985; e por Jack Nicholson no filme Hoffa de 1992. 
http://operamundi.uol.com.br/conteudo/noticias/5362/conteudo+opera.shtml

Comentários

Postagens mais visitadas