EUA e mais 11 países fecham o maior acordo regional da história

Acordo abrange bloco de países que representam 40% da economia global; dentre os participantes, estão o Japão, Chile, Peru, México, Austrália, entre outros

O presidente americano Barack Obama em coletiva de imprensa na Casa Branca
Acordo pode ser visto com uma das maiores vitórias de Obama (Joshua Roberts/Reuters)
Ministros dos Estados Unidos, do Japão e de dez países da região do Pacífico fecharam nesta segunda-feira um histórico acordo para reduzir barreiras comerciais e tarifárias e estabelecer regras comuns para um bloco de nações que representa 40% da economia global. Os detalhes do pacto devem ser anunciados oficialmente nesta segunda-feira.
Além dos EUA e do Japão, os países integrantes da chamada Parceria Transpacífico (TPP, na sigla em inglês) são: Austrália, Brunei, Canadá, Chile, Malásia, México, Nova Zelândia, Peru, Singapura e Vietnã. Segundo o jornal New York Times, o acordo, que ainda precisa ser votado pelo Congresso americano, prevê eliminar milhares de tarifas de importação, instituir padrões sobre propriedade intelectual das corporações, reprimir o tráfico de animais selvagens e abusos ambientais.
O acordo é considerado uma vitória para o presidente americano Barack Obama, que conta com o pacto para impulsionar o crescimento econômico, aproximando-se de países do Pacífico num momento em que a China - que não faz parte do bloco - enfrenta dificuldades financeiras e adota uma postura econômica e militar mais agressiva na região.
Obama, no entanto, deve enfrentar sérios desafios nos próximos meses para garantir a aprovação da TPP no Congresso, que está dividido. Poucos democratas apoiam a política comercial de Obama e o endosso dos republicanos será imprevisível a pouco de um ano das eleições presidenciais. A votação sobre o acordo não ocorrerá antes do começo do próximo ano.
Em comunicado divulgado nesta segunda, o presidente americano afirmou que "esta parceria nivela o campo de jogo para nossos agricultores, pecuaristas e fabricantes, eliminando mais de 18.000 impostos que vários países impõem a nossos produtos".
Após dezenas de rodadas de negociações e de cinco dias de esforços de barganha em Atlanta, ministros do Comércio e outras autoridades disseram que resolveram conflitos sobre a proteção da propriedade intelectual de medicamentos biológicos, regras para a produção automotiva e produtos lácteos.
A TPP, se aprovada no Congresso norte-americano, marcará a efetiva expansão do Acordo de Livre Comércio da América do Norte (Nafta, na sigla em inglês), lançado há duas décadas, ao incluir Japão, Austrália, Chile, Peru e vários países do Sudeste Asiático. O pacto vem sendo negociado desde 2008.

Comentários

Postagens mais visitadas