Por que a cerveja desce ‘redondo’, e não ‘redonda’?


O slogan da Skol está correto, Rosângela. “Redondo”, no caso, não é um adjetivo, o que obrigaria a palavra a concordar com o gênero feminino do substantivo “cerveja”. É um advérbio, forma sintética de “redondamente”, que modifica o verbo “descer” e não sofre flexão alguma.
O caso é semelhante ao que o leitor Luiz Accioly trouxe para o consultório em 2013,: por que dizemos que “boas escolas custam caro” e não que “boas escolas custam caras”? Porque “caro” é um advérbio que modula o verbo “custar” e não um adjetivo ligado a “escolas”.
Como escrevi na época, e repito porque o mesmo raciocínio se aplica a “descer redondo”:
…“caro” se liga a “custar” do mesmo modo que o advérbio “alto” se liga a “falar” (“eles falam alto” e não “eles falam altos”), “feio” ao verbo “brigar” (“aqueles dois brigaram feio” e não “aqueles dois brigaram feios”) e “direto” aos verbos “passar” ou “ir” (“todos os meus alunos passaram direto” e “os carros foram direto para a oficina”, e não “todos os meus alunos passaram diretos” ou “os carros foram diretos para a oficina”).
http://veja.abril.com.br/blog/sobre-palavras/consultorio/por-que-a-cerveja-desce-redondo-e-nao-redonda/

Comentários

Postagens mais visitadas