O bumbum de Paolla Oliveira e a máscara de Graça Foster

Montagem Graça PaollaPaolla Oliveira se tornou o termo mais pesquisado na internet do Brasil nesta quinta-feira, em razão da cena exibida na noite de terça em que sua personagem na minissérie da Globo “Felizes para sempre?” caminha até a janela de um caríssimo hotel de Brasília vestindo apenas uma calcinha fio dental. Paolla interpreta Danny Bond, uma garota de programa de luxo que cobra R$ 4 mil por hora, atende aos homens mais ricos da capital do país e é contratada para apimentar o casamento dos personagens de Enrique Diaz e Maria Fernanda Cândido.
Enquanto os brasileiros procuravam o bumbum de Paolla Oliveira, os advogados de Nestor Cerveró, preso pela Operação Lava Jato e acusado de desviar milhões de reais da Petrobras, telefonaram para a Condal, a maior fábrica de máscaras do Brasil, e ameaçaram processá-la caso ela reproduza seu rosto nas máscaras de Carnaval. Atemorizada, a dona da Condal disse ao jornal O Globo que desistiu de reproduzir o rosto de Cerveró – a bem da verdade pouco encomendado – e que vai se dedicar às máscaras de Graça Foster, a mais pedida para 2015.
Para reunir o mais pesquisado e a mais pedida, sugiro à dona da fábrica que reproduza também o bumbum da (personagem de) Paolla Oliveira, com a devida calcinha fio dental, e o inclua em um kit-carnavalesco junto ao rosto da presidente da estatal mais roubada do mundo para que os foliões brasileiros desfilem pelas ruas finalmente representando toda a cultura nacional.
(É o bloco das Raimundas!)
II.
A todos que caíram neste post à procura de um bumbum, aproveito para informar que o exame de fezes governamentais constatou que:
- O Brasil teve um déficit inédito de 17,2 bilhões de reais em 2014, um rombo histórico nas contas da presidente Dilma Rousseff, que nunca soube mesmo fazer contas. Em janeiro do ano passado, prometia-se um superávit de 116,1 bilhões de reais. A diferença entre a promessa e a realidade do governo petista, como se vê, é de “apenas” 133,3 bilhões de reais.
- A Petrobras desistiu de construir duas refinarias (Premium I e Premium II), cujas obras foram inauguradas com cerimônias publicitárias por Lula, Dilma e diretores hoje investigados pela roubalheira na empresa, como José Sérgio Gabrielli e Paulo Roberto da Costa. Mais uma promessa petista que ficou pelo caminho. Uma, não. Duas.
- Cerveró nada falou no seu depoimento de quarta-feira sobre a compra da refinaria em Pasadena, porque só abrirá a boca, segundo seu advogado, depois de julgado o requerimento para que a ação contra ele corra no Rio de Janeiro, onde fica a sede da Petrobras, e não em Curitiba. Assim como o lobista Fernando Baiano, Cerveró quer escapar de Sergio Moro, porque sabe que o juiz tiraria a sua máscara sem que ele precisasse pedir.
- Graça Foster disse nesta quinta-feira que o valor da corrupção na Petrobras pode ser maior que o apurado. No balanço não auditado do terceiro trimestre, a estatal apresentou um total de 88,6 bilhões de reais em ativos superavaliados, ou seja, que tiveram um valor contábil maior do que o de mercado. A estimativa se refere a 31 contratos firmados com 23 empresas investigadas no âmbito da Operação Lava Jato no período entre janeiro de 2004 e abril de 2012. Já o hotsite da Lava Jato mostra os seguintes resultados da Operação até janeiro:
Lava Jato
Isso mesmo: só os crimes já denunciados envolvem o desvio de aproximadamente 2,1 bilhões de reais. Lula chegara a declarar que o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli era um dos mais competentes da história da estatal. Já entendeu o que ele queria dizer?
- A Justiça do Rio de Janeiro decretou a quebra do sigilo bancário e fiscal de Gabrielli (o homem de Lula), do ex-diretor de Serviços Renato Duque (o afilhado do mensaleiro petista José Dirceu) e do seu braço-direito, o ex-gerente de Engenharia Pedro Barusco. Motivo: um superfaturamento de 31,4 milhões de reais em obras do Centro de Pesquisas e Desenvolvimento da Petrobras (Cenpes), na Ilha do Fundão, executada pela Andrade Gutierrez, construtora que também teve seus sigilos quebrados. A busca nas movimentações financeiras e dados tributários de Gabrielli, Duque, Barusco, outros cinco servidores da estatal e da empreiteira alcança período de 2005 a 2010. Resta saber se alcançará Lula e Dirceu também, fazendo valer a frase “Todo carnaval tem seu fim”, raramente aplicável no Brasil.
Que Paolla Oliveira sirva de inspiração. Chega de ser um país de bundas-moles.
Felipe Moura Brasil - http://www.veja.com/felipemourabrasil

Comentários

Postagens mais visitadas