Concordo plenamente...,

Deputado-pastor Marco Feliciano: pelo menos, ele não foi mandado para a cadeia, como os mensaleiros (Foto: Agência Brasil)

Os leitores do blog já conhecem minha opinião sobre a presença do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) à frente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias do blog.
Acho um absurdo e um desrespeito à sociedade que tramoias partidárias tenham conduzido alguém tão inadequado para o posto quanto ele.
Uma comissão que lida com questões vitais para uma democracia e que inclui manter uma atitude de tolerância e serenidade com temas complexos da natureza humana não deveria ser presidida por um deputado com ideias medievais como Feliciano.  PT tem grande responsabilidade nisso — porque preferiu “rifar” a comissão que detinha, em troca de outras , que tratam de áreas detentoras de vultosos recursos públicos.
Pois bem, mas não há como deixar de dizer que o deputado está coberto de razão ao ironizar, como fez hoje, durante encontro do Colégio de Líderes de que participou o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN) — e onde foi pressionado a renunciar –, que, sim, deixará a Comissão de Direitos Humanos, mas desde que dois mensaleiros condenados à cadeia pelo Supremo Tribunal, ambos do PT, fizerem o mesmo na Comissão de Justiça. (Leia reportagem do site de VEJA).
Os mensaleiros são João Paulo Cunha e José Genoíno, condenados a penas de cadeia pelo Supremo Tribunal Federal por uma batelada de crimes. O PT, além de haver “rifado” a Comissão de Direitos Humanos no momento em que o Congresso escolheu seus principais dirigente, cometeu a leviandade e levou adiante o absurdo espantoso de, como se nada houvesse acontecido, guindar dois deputados CONDENADOS PELA JUSTIÇA COMO CRIMINOSOS para, justamente, a Comissão de Constituição e Justiça.
É difícil imaginar algo mais constrangedor, para o Parlamento e para o povo que a Câmara representa, do que o cinismo de incluir numa Comissão de Justiça dois pilantras políticos condenados… pela Justiça!
O deputado Marco Feliciano tem posições e posturas que repugnam a muitos brasileiros.
Mas, pelo menos, não é um criminoso! Há um processo contra ele no Supremo Tribunal, mas nenhuma condenação — o processo ainda está nas preliminares.
Nesse caso, não vejo como não estar ao lado dele diante da proposta que fez: eu saio, mas se Genoíno e João Paulo saírem também.
*Ricardo Setti

Comentários

Postagens mais visitadas