As falsas vestais do PT seriam recusadas até pelos bordéis de quinta categoria


MAURO PEREIRA

No plano político, os petistas usam até hoje a mesma máscara de paladinos da justiça que sempre encobriu o caráter torpe que caracteriza a personalidade desvirtuada de seus maquiavéis autodidatas. São especialistas na montagem de planos mirabolantes para a destruição de seus adversários, mas pateticamente incapazes de se sustentarem no poder sem abusar da mentira como forma convencimento, e da miséria que atormenta milhões de brasileiros como método de persuasão.
No plano administrativo, os petistas não conseguem ao menos abrandar o caos que assola a saúde, a educação, a segurança, o saneamento básico. E lhe falta qualificação para estancar a corrupção que, se numa ponta os enriquece, na outra ponta tripudia sobre a dignidade humana ao negar de maneira cruel o acesso de uma multidão de crianças, adultos, jovens e idosos às mais comezinhas condições de sobrevivência.
Na esfera policial, de tanto conviverem com os corruptos ─ companheiros ou aliados ─ e com a corrupção, aprenderam a contornar a imensa fossa que os sufoca distribuindo afagos aos seus bandidos de estimação, absolvendo-os de seus crimes mesmo antes que sejam julgados pela Justiça. Os exemplos abundam e demandaria um espaço extraordinário para elencá-los.
O escândalo envolvendo o senador Demóstenes Torres e o bicheiro Carlinhos Cachoeira, que acabou atingindo os governadores Marconi Perillo (PSDB), de Goiás, e Agnelo Queiroz (PT), de Brasília, dimensiona com exatidão o modo canhestro que orienta a ação dos petistas. O perigo de tornar-se realidade a CPI que tentaram encenar os desorientou, o que exigiu a imediata intervenção de sua estrela maior.
A cínica declaração do ex-presidente Lula criticando o governador tucano e poupando seu companheiro petista prenuncia uma CPI conspurcada na sua essência, cuja missão principal será enquadrar somente os corruptos opositores e, de lambuja, demolir a oposição. Os corruptos de estimação de Lula se sentirão a salvo enquanto a certeza da impunidade predominar.
Experientes na arte da empulhação, tratarão de fantasiar-se de parlamentares indignados. Procurarão vender à sociedade a imagem de donzelas indignadas, embora esteja evidente que dificuldades para se empregarem até mesmo como cortesãs de bordéis de quinta categoria. “Joguem merda no Demóstenes, maldito Demóstenes!”, berrarão coléricos. De positivo, fica a certeza de que o mau cheiro que exala de tanta podridão inexoravelmente os igualará.
No universo petista, não faltarão testemunhas para garantir a conduta ilibada do companheiro Agnelo. José Dirceu, Erenice Guerra, Antonio Palocci, José Genoino, Delúbio Soares, João Paulo Cunha e muito outros nomes de peso estarão à disposição. É só escolher.

Comentários

Postagens mais visitadas