Ministro mal educado..., burro mesmo!



Esta é do balacobaco! Mercadante culpa o Brasil — sim, o Brasil!!! — por problemas do Enem. Ou ainda: Mercadante para ministro da Educação de Tuvalu!!!

Vocês achavam incompetente o trabalho de Fernando Haddad, o ex-ministro Gugu-Dadá da Educação? Caaalmaaa!!! Aloizio Mercadante ainda não disse a que veio. Ou melhor: já começou a dizer. Lembrem-se sempre de que Lula nunca o indicou para um ministério… Leiam reportagem do Globo em que Mercadante explica por que o MEC enfrentou problemas com o Enem. Ele também indica quem é o culpado.
“MEC não tem culpa de Brasil ser grande”, diz ministro sobre Enem
Por Evandro Éboli:
O ministro da Educação, Aloízio Mercadante, colocou no tamanho do Brasil a culpa pelos problemas com o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), durante audiência na Comissão de Educação, do Senado Federal nesta quarta-feira. O ministro afirmou que riscos, como o de vazamento de dados ou extravio de provas, sempre haverá, em função da abrangência e tamanho do exame. “O MEC não tem culpa de o Brasil ser tão grande e diverso. São 140 mil salas, 400 mil pessoas fiscalizando. E tem de ter um sigilo absoluto. O risco logístico sempre haverá”, disse Mercadante sobre o exame, que ele acredita ser um ‘critério republicano’ de acesso à universidade.
O ministro demonstrou preocupação com a concentração na procura de determinados cursos, e deu como exemplo o fato de que 41% dos estudantes buscam cursos como Enfermagem, Direito e Pedagogia, entre alguns outros. Mercadante apontou deficiência na formação de matemáticos, físicos, químicos e, principalmente, engenheiros. Ele afirmou que será criado um programa especial para aumentar o número de engenheiros no país.
O ministro também afirmou que há um déficit no número de médicos no país. A relação atual, segundo Mercadante, é de 1,7 médico para cada mil habitantes, enquanto em Cuba, por exemplo, essa relação é de 6,9 médicos, apontou o ministro. Ele citou outros cinco países, todos na Europa, com relação de médicos por habitantes maior que no Brasil. Mercadante defendeu, por várias vezes, a destinação de recursos do pré-sal para a educação. O ministro também citou que um de seus desafios será assegurar a alfabetização dos alunos na idade certa. “Este é um dos grandes desafios. Recuperar o aluno que está fora da idade de série”, - disse Mercadante.
Entre os esforços para a melhoria do ensino público, o ministro da educação falou sobre a distribuição de tablets para alunos e professores da rede pública, e sobre o desafio que os professores têm em lidar com as novas tecnologias. “O quadro negro é um instrumento do século XVIII. O professor do século XX. E os alunos do século XXI. Somos analógicos, e eles, digital. Se todos os professores vão dominar, não sei. É um mundo novo, mas todos precisamos dominar”,disse.
ComentoViram? Esses caras se candidatam a governar o Brasil. Quando descobrem o tamanho do país, decretam que ele é ingovernável. Haddad já havia deixado claro que considera impossível fazer um exame em que o sigilo seja garantido. Parece que Mercadante vai na mesma trilha… Sabem como é: país grande demais! Mercadante tem de ser ministro da Educação de Tuvalu… É um país bem pequeno. Deve ser possível fazer o Enem sem dificuldades.
A outra bobagem de que Mercadante é entusiasta, e conta com o apoio bucéfalo de alguns jornalistas mais ignorantes do que ele próprio, é essa história de que os tablets vão fazer uma revolução na educação. Uma ova! Tablets em mãos de idiotas aceleram a circulação de idiotices. Tablets nas mãos de pessoas educadas facilitam a educação. Em si, isso não quer dizer nada.
Mercadante está é querendo posar para fotografia. O país tem um dos piores desempenhos do mundo em provas internacionais de proficiência em língua e matemática. Entre outros motivos, a formação dos professores é  lastimável. Todos os esforços de qualificação da categoria esbarram no sindicalismo bucéfalo petista, a exemplo do que fez a Apeoesp em São Paulo.
Quanto a estimular a formação de engenheiros… Xiii… Lá vem engenharia social! Vai dar tudo errado, é claro! Mercadante, aliás, é um dos engenheiros fora de sua profissão. A considerar o modo como pensa, um bem para a engenharia!
Por Reinaldo Azevedo

Comentários

Postagens mais visitadas