A soberba de Neymar

O jogador Neymar durante a partida entre Brasil e Honduras no Beira-Rio em Porto Alegre
O craque da seleção e do Barcelona: campeão de arrogância(Ivan Pacheco/VEJA.com)
Neymar e mais dez é o chavão que resume o futebol da seleção brasileira de Dunga. Quando o Brasil foi onze menos Neymar, naquela tarde de Belo Horizonte, deu no que deu, a Alemanha fez sete e a camisa amarela deixou definitivamente de assustar os adversários. Em 2014, o camisa 10 não pôde entrar em campo porque o colombiano Zuñiga o atropelou, quebrou as costelas do ex-santista e o resto é história. Na Copa América do Chile, o Zuñiga de Neymar foi o próprio Neymar. Expulso ao final da derrota contra a Colômbia, ele pegou um gancho de quatro jogos e está fora do torneio. Poderia ter sido pior. Poderiam ser dez jogos de suspensão caso o árbitro chileno Enrique Osses tivesse relatado na súmula fato que foi repassado pelo delegado do jogo Brasil x Colômbia, o uruguaio Washington Rivero, ao Tribunal Disciplinar. Neymar puxou a camisa de Osses ao insultá-lo no túnel de acesso aos vestiários do estádio Monumental, em Santiago, instantes após receber o cartão vermelho. O árbitro, porém, não descreveu o puxão de camisa na súmula, e apenas os insultos. Se tivesse relatado, a pena mínima de Neymar seria de dez jogos de suspensão, o que o impediria de jogar não só nessa Copa América, mas também na edição especial que será jogada nos Estados Unidos em 2016.
Quatro ou dez jogos, tanto faz. Neymar foi derrotado pela arrogância. Em campo, além de ter feito uma péssima partida, o que não é crime nenhum, parecia ter encarnado os piores momentos de jogadores brigões como Edmundo e, em passado mais remoto, Almir Pernambuquinho. A seguir nessa toada, o mais completo craque brasileiro da atualidade, a caminho de bater todos os recordes de gols pela seleção, pode virar nota de pé de página. Fracassou na Copa de 2014 (por culpa de Zuñiga, sim), fracassou nesta Copa América, e convém não esquecermos que fracassou também na Olimpíada de Londes, em 2012, com a medalha de prata. Como o Brasil é mesmo ele e mais dez, seria bom que pudesse jogar. Uma outra chance foi perdida, e nesta semana o campeão da Liga pelo Barcelona diminuiu de tamanho. Quem sabe, merecidamente impossibilitado de entrar em campo, possa estudar saídas para a confusão em que foi metido pelo pai no torto contrato assinado com o Barcelona, motivo de investigação policial na justiça espanhola. Neymar está perdendo de goleada para a soberba.

Comentários

  1. Sobre NEYMAR...
    Como jogador, Neymar é indiscutível. Particularmente, não gosto de Neymar como pessoa, exibicionista, não gosto de seus penteados e de muitas de suas atitudes.
    MAS... acho injusto o que estão fazendo com ele. Interessante como não aparece ninguém para defendê-lo. Nessa partida contra a Colômbia, nosso melhor jogador foi 'caçado' por 90 minutos, sob o olhar complacente do péssimo árbitro.
    Naquele lance do cartão amarelo, quando Neymar ia cabecear ao gol, levou uma botinada na cara, o que o impediu de concluir com perfeição uma jogada que ele quase nunca erra. Quando estava caindo, a bola rebotada pelo goleiro bate em sua mão. Para surpresa geral, ele leva cartão amarelo.
    Ele não é um robot, é humano. Continua levando paulada até o fim, impunemente. Imaginem o sangue fervendo de um homem injustiçado e impossibilitado de concluir aquilo que mais gosta de fazer.
    Exatamente no apito final -- observem bem a jogada -- Neymar está chutando a bola em direção ao gol, e a bola bate em um defensor colombiano. O cara se sente agredido, Neymar é acusado de jogar a bola contra ele! Pasmem! Nem Neymar, um dos melhores jogadores do mundo, consegue acertar uma bola, intencionalmente, num jogador a 15 metros de distância, para tentar feri-lo.
    Fecha-se um bolo de jogadores em volta dele, depois é agredido violentamente -- POR TRÁS -- pelo jogador Bacca, ele não reage, fica impassível para não piorar a situação, e depois É EXPULSO sob a alegação de que ofendeu o árbitro. Quem pode comprovar que Neymar ofendeu o árbitro?
    Depois, nosso craque é julgado e condenado sumariamente pela Confederação a não mais jogar a Copa América.
    Acho muito injusto isso e muito estranho que não se levantem vozes na crônica brasileira para denunciar esse verdadeiro complô que está sendo armado para tirar essa Copa da Seleção Canarinho. Todo mundo condenando Neymar e ninguém defendendo Neymar.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas