Os escritos e desenhos de John Lennon

Em Nova York, venda revela a produção paralela do ex-beatle, que tinha um traço seguro e um fôlego literário bem mais sarcástico do que o exibido nas canções

Ivan Claudio (ivanclaudio@istoe.com.br)
JOHN-06-IE-2317.jpg
A possibilidade de uma pessoa seguir outra trajetória que não a percorrida em sua vida é uma hipótese fascinante, especialmente quando 
se toma como exemplo um artista completo como o cantor e compositor John Lennon, morto na encruzilhada de muitos caminhos, aos 40 anos. No dia 5 de junho, vai a leilão, na Sotheby’s de Nova York, um acervo de desenhos, escritos e esboços feitos pelo músico na juventude, no início da beatlemania. Avaliados em US$ 800 mil e guardados durante 50 anos, os 89 lotes (conjunto de objetos, no jargão leiloeiro) revelam um desenhista de mão cheia e um escritor tão ou mais inventivo quanto o autor de “I’Am The Walrus” ou “Lucy in The Sky With Diamonds”. “Suas canções trazem um senso de humor e sofisticação parecidos, mas ele mesmo admitiu que nessas obras desfrutou de uma liberdade que não se permitia como compositor”, disse o curador Gabriel Heaton, da Sotheby’s.
JOHN-01-IE-2317.jpg
HUMOR
O desenho inédito "Guitarrista com Quatro Olhos" e a aquarela
"Oh Dear Sheep", feita para ilustrar o poema "Bernice's Sheep":
técnica aprendida no curso de belas artes
JOHN-02-IE-2317.jpg
Esse acervo pertence ao editor inglês Tom Maschler, que o recebeu de presente de Lennon nos anos 1960. Dono da importante editora Jonathan Cape e criador do Book Prize, ele foi apresentado à obra paralela do “beatle cabeça” por um amigo – e ficou impressionadíssimo. Foi conhecê-lo durante um show dos Fab Four em Winbledon (espantou-se com a quantidade de ambulâncias de prontidão fora do estádio) e propôs a publicação do material. Pagou 10 mil libras (a banda ganhava 600 libras por show). O conjunto deu origem a dois livros, “In His Own Write” e “A Spaniard in The Works”, e a crítica viu traços de Lewis Carroll no estilo sarcástico. Os desenhos, contudo, foram subestimados. “Espero que essa injustiça seja reparada”, afirma Meschler, no catálogo. De fato, o que surpreende no acervo é a modernidade do traço de Lennon, que criou ilustrações para poemas e contos com a limpidez dos melhores caricaturistas e desenhistas de quadrinhos. Entre as obras mais caras está o manuscrito de nove páginas com o conto “The Singularge Experience of Miss Anne Duffield”, uma paródia de Sherlock Holmes em que o assassino de uma prostituta recebe o nome de Jack the Nipple (Jack, o Mamilo), em referência a Jack the Ripper (Jack, o Estripador).
JOHN-03-IE-2317.jpg
IRREVERÊNCIA
Manuscrito do poema "The Fat Budgie" (o periquito gordo), marcado
pelo nonsense: avaliado entre US$ 25 mil e US$ 35 mil
A irreverência é constante nos textos do Lennon iniciante, que cometia erros propositais de ortografia para criar ainda mais estranheza nas histórias. No poema “Alec Speaking”, por exemplo, alinha uma série de versos em aliteração, mas de sentido incompreensível: “Amo amat amass/Amonk, amink, a minibus”. Três dias antes de lançar o livro, ele foi entrevistado por George Harrison na rádio BBC, de Londres. O amigo tirou sarro dizendo que Lennon escrevera um “bewk” (palavra inexistente, com som parecido ao de “book”, livro). Era o ensaio de uma pequena revolução literária que a vida de popstar o impediu de realizar. 
JOHN-04-IE-2317.jpg
SURREAL
Desenho sem título usado na capa do single "Free as a Bird", em 1995:
preço entre US$ 12 mil e US$ 15 mil
JOHN-05-IE-2317.jpg
Erros de ortografia propositais
O desenho acima, em que um homem conversa com um  ser
híbrido, ilustra o poema “Alec Speaking”. Ele traz versos como
“Amo amat amass/ Amonk, amink, a minibus/ Amarmylaidie
Moon/ Amikky mendip multiplus/ Amighty midgey spoon”,
em que as palavras conhecidas são apenas as finais

Comentários

Postagens mais visitadas