A hora de Zé Dirceu...,


Mensalão: a hora de Dirceu

Ele ajudou a criar o PT e chegou ao ápice como o ministro mais importante do governo Lula; nesta terça, chegou a vez de acertar as contas com a Justiça

Gabriel Castro
Ministro Luiz Fux durante o julgamento do mensalão, em 04/10/2012
Ministro Luiz Fux durante o julgamento do mensalão, em 04/10/2012 - Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr
José Dirceu de Oliveira e Silva, 66 anos, deverá se tornar nesta terça-feira o 23º condenado no processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF). A acusação de corrupção ativa deverá ser aceita com larga vantagem pelos ministros da corte. É um ponto decisivo em uma trajetória repleta de reviravoltas. Mas o petista, acusado de comandar uma quadrilha, não pode culpar ninguém senão a si mesmo.
O que o Supremo tem confirmado é que Dirceu comandou a montagem e a operação do mais ousado esquema de corrupção já descoberto no país; o que o STF está a julgar não é um esquema comum de desvio de recursos: é uma gravíssima tentativa de destruir a independência do Congresso Nacional por meio de pagamento de propina.
O mais provável é José Dirceu seja condenado por 8 votos a 2, o que torna a derrota política do petista ainda mais inquestionável. É pouco provável que ele cumpra regime fechado de detenção (a pena para o crime de corrupção, mesmo somada a uma eventual condenação por formação de quadrilha, não é das mais altas). A mancha na carreira do petista, entretanto, será irreversível: Dirceu será, para sempre, o chefe do mensalão.
Confirmada a condenação, Dirceu precisará de mais coragem para negar a existência do mensalão e se dizer vítima de perseguidores políticos. A cada vez que alegar inocência, vai ter de explicar porque a maioria da mais alta corte do país o considerou culpado de montar o mais ousado esquema de corrupção já descoberto no país. 
Anistia - A crise de 2005, que derrubou o então ministro mais poderoso de Lula, mudou os rumos da República. Não é muito supor que, não fosse o escândalo do mensalão, Dirceu teria sido escolhido para disputar a Presidência a República em 2010. A sucessora dele na Casa Civil, aliás, foi exatamente Dilma Rousseff. Dali, a petista saltou para a cadeira presidencial.
Há sete anos longe dos cargos públicos, José Dirceu ainda sonhava obter uma espécie de anistia da sua cassação na Câmara dos Deputados para retomar a carreira política. Com a condenação, ficará permanentemente banido de atuar às claras - embora tenha aprendido a usar sua influência fora dos holofotes.
O STF já comprovou o esquema de compra de apoio político de deputados de quatro partidos. O esquema foi montado pelo PT. Absolver Dirceu e Genoino, como fez o ministro Ricardo Lewandowski, seria optar pela tese sem sentido de que o então tesoureiro Delúbio Soares montou e coordenou o engenhoso esquema que repassou ao menos 55 milhões de reais para representantes de PP, PTB, PMDB e PL (atual PR).
A sessão que definirá o futuro de Dirceu está marcada para as 14h. O ministro Dias Toffoli será o primeiro a votar. Depois, falarão Cármen Lúcia, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Celso de Mello e Ayres Britto.

Comentários

Postagens mais visitadas